menu2.jpg
Untitled Document
barra.jpg
Segunda-feira - Cuiabá, 11 de Dezembro de 2017
menuesquerdo.jpg
 
meio.jpg
Pós-Graduação 2016
02/03/2016
 
 






 
21/03/2016
Educação Inclusiva
Educação Inclusiva melhora desenvolvimento intelectual e social de aluno com Síndrome de Down
 
 
 

   O convívio dos portadores de síndromes/necessidades especiais com os demais estudantes em escolas regulares já foi comprovado como transformador no desenvolvimento de ambos. O dia a dia de um aluno com Síndrome de Down, em uma escola de Cuiabá, vem provando que o convívio com os demais colegas é fundamental para a evolução de seu aprendizado.

Em 1990, numa conferência na Tailândia foi elaborada uma Declaração Mundial sobre Educação para Todos, que tinha como maior objetivo chamar atenção para as milhões de pessoas que não tem acesso a educação, seja por motivos geográficos, sociais, culturais e afins.

Dentre esses motivos, estão os portadores de necessidades especiais e síndromes, como a Síndrome de Down. O ser diferente, nesses casos, limita o direito à educação dessas pessoas, pela falta de condições e oportunidades educativas que satisfaçam às necessidades básicas de aprendizado delas.

Em Cuiabá, o Grupo Escolar Senador Azeredo se destaca pela inclusão de vários alunos com síndromes e deficiências em seu corpo estudantil. O coordenador pedagógico vespertino da Escola, Geander Franco de Araújo, explica sobre o dia a dia dos alunos na escola.

“Nós temos dois alunos com Síndrome de Down em nossa escola e a vida escolar deles é comum, como a dos demais. Eles não necessitam de acompanhamento especial, não temos relatos de maus tratos nem dificuldade de interação social. Pelo contrário, o que observamos é que sempre estão na companhia das demais crianças, participando das atividades”, explica Geander.

Esta “Educação Inclusiva” do Grupo Escolar de Cuiabá é uma política educacional defendida por organizações ligadas a portadores de necessidades e síndromes, que deu seu primeiro passo em território nacional em 1999, com a “matrícula compulsório de pessoas com deficiência em escolas regulares”, sendo o 'Programa de Educação Inclusiva Direito à Diversidade' implementado pelo Ministério da Educação em 2003.

O método educacional desenvolvido em sala de aula é diferenciado e requer mais atenção do professor, como diz o coordenador Geander. “O método de avaliação é diferente para eles, mais específico e direcionado, exigindo maior dedicação do professor. A professora do Emerson, por exemplo, solicita sempre cópias de atividades apenas para ele”, relata o coordenador.

Emerson está com 18 anos e cursa o 6° ano, tem Síndrome de Down e estuda na Escola Estadual Senador Azeredo, junto com as demais crianças. Sua mãe, Dona Maria Paixão de Lima, contou à reportagem do Olhar Conceito que notou avanço no aprendizado do filho. “Ele foi para a Senador Azeredo, no período da tarde, com a ajuda da professora dele da Apae, que dá aula nas duas instituições. Ele gosta de frequentar a escola e já está lendo”, conta Maria.

Além de Emerson, o Grupo Escolar Senador Azeredo possui entre seus alunos crianças com deficiência física, motora e mental, que são acompanhadas por auxiliares de turma.

A Síndrome de Down

É definida por uma alteração genética caracterizada pela presença de um terceiro cromossomo de número 21, o que também é chamado de trissomia do 21. Pessoas com a Síndrome apresentam funcionamento intelectual inferior à média, que se manifesta antes dos 18 anos. Além do déficit cognitivo e da dificuldade de comunicação, a pessoa com Síndrome de Down apresenta redução do tônus muscular, cientificamente chamada de hipotonia. Também são comuns problemas na coluna, na tireoide, nos olhos e no aparelho digestivo.

Mais informações acesse: http://www.olhardireto.com.br/conceito/noticias/exibir.asp?noticia=educacao-inclusiva-melhora-desenvolvimento-de-aluno-com-sindrome-de-down&id=10461

(Fonte: Da Redação - Naiara Leonor / Foto: Reprodução / Ilustração / Site: Olhar Conceito/Direto)

 
 
 
 
rodape.jpg
 
Todos os direitos reservados para www.ive.edu.br - informações e contato através do telefone: 65 3388 8400